Início/ Perspectivas/ Livro branco

Terá a América Latina encontrado a peça que faltava na contratação de executivos?

O valor da tomada de decisão nas estratégias de contratação.

À medida que as empresas navegam num panorama empresarial global mais complexo do que nunca, a capacidade de tomar decisões eficazes e atempadas deve ser considerada inegociável para a liderança.

No entanto, a nossa nova investigação mostra que a tomada de decisões é um fator negligenciado nas estratégias de contratação: um quarto dos executivos seniores no nosso inquérito global diz que não foi questionado sobre sobre as suas capacidades de tomada de decisão na fase de entrevista. E apenas 36% afirmam que o seu estilo de tomada de decisões está de acordo com o da sua organização.

Tanto na América Latina (LATAM) como noutros mercados internacionais, os executivos seniores cujos estilos de tomada de decisão se alinham com com suas organizações têm maior probabilidade de estarem felizes em suas funções em geral. As pessoas, e não a tecnologia ou os processos, também são mais propensas a impulsionar melhorias na tomada de decisões organizacionais.

No entanto, apesar dessas semelhanças, nossos resultados revelam algumas diferenças marcantes entre a América Latina e o resto do mundo. o resto do mundo. Para os executivos seniores da América Latina, a satisfação com os processos processos de tomada de decisão de suas organizações é mais de 10 pontos percentuais maior do que em outras regiões. Também é muito mais provável que tenham sido questionados sobre as suas próprias capacidades de tomada de decisão na fase de entrevista (87% em comparação com 75%).

Apesar disso, a maioria (79%) demitiu-se ou pensou em demitir-se em algum momento da sua carreira por estar insatisfeita com a forma como a sua empresa tomava decisões, em comparação com 63% de executivos seniores de outros mercados internacionais. E 39% dos executivos seniores da LATAM dizem que se demitiram, em comparação com 34% dos executivos de outros mercados internacionais. Além disso, apenas um pouco mais de um terço (37%) do estilo de tomada de decisão dos executivos seniores da LATAM está alinhado com o da sua organização.

Gráfico de artigos Latam1 Gráfico responsivo de artigos Latam1
Analisamos mais de perto essas nuances no mercado da América Latina e descobrimos por que a tomada de decisões é uma parte tão importante da contratação de líderes. Poderá a LATAM ser um líder mundial neste domínio?
Sobre a nossa investigação
Objetivo
O objetivo da investigação é explorar várias dimensões do processo de organizacional nos países da América Latina, incluindo as relações entre a tomada de entre tomada de decisão e liderança executiva, estratégia de talentos e satisfação dos funcionários.
O inquérito
A Kingsley Gate encomendou um inquérito que foi realizado pela FT Longitude em setembro de 2023.

Falámos com executivos seniores nos níveis C-suite, C-1 e C-2 de 13 indústrias e seis países da América Latina: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru.

Trata-se de um estudo comparativo de uma investigação realizada em maio e junho de 2023, que inquiriu executivos seniores nos níveis C-suite, C-1 e C-2 de 13 indústrias em Singapura, Espanha, Emirados Árabes Unidos Reino Unido e EUA. Referimo-nos a esta amostra como "outros mercados internacionais".

As pessoas fazem mais a diferença entre uma boa ou má tomada de decisão do que a tecnologia ou os dados

Os executivos seniores da LATAM que participaram da nossa pesquisa revelam que, em conjunto, as capacidades de tomada de decisão de alguns indivíduos-chave são o principal motor de uma melhor tomada de decisão nas organizações.

Foi pedido aos executivos seniores que reflectissem sobre a melhoria da tomada de decisões da sua organização durante o tempo em que estiveram na empresa e que considerassem o que desempenhou o papel mais importante na condução desta melhoria.

melhoria. Os factores mais influentes foram a liderança da empresa e os novos empregados. Seguiram-se o seu impacto pessoal e auto-declarado e, depois, os outros trabalhadores existentes.

Estes factores centrados nas pessoas estão à frente da tecnologia, dos processos, das ferramentas de análise de dados e dos factores económicos uma tendência que também se reflecte noutros mercados internacionais.

Gráfico de artigos Latam2 Gráfico responsivo do artigo Latam2

E quando foi pedido aos executivos seniores da LATAM que indicassem o principal fator de perda de tempo na tomada de decisões na tomada de decisões em sua organização, as respostas foram mais provavelmente relacionadas a tomadores de decisão inexperientes ou a uma liderança deficiente. Isso mostra que as pessoas podem ter um impacto tanto positivo quanto negativo na tomada de decisões dentro de uma organização.

Assim, a contratação de decisores experientes ao nível da liderança ajuda a que as decisões sejam tomadas decisões sejam tomadas com eficácia e com o mínimo de perda de tempo. E para os executivos seniores da LATAM, decisões mais rápidas são a principal forma de aumentar a sua satisfação com a eficácia da tomada de decisões da sua organização eficácia na tomada de decisões.

Os recrutadores na América Latina devem discutir a tomada de decisões com os potenciais executivos seniores durante o processo de contratação. Avaliar a capacidade e o estilo de tomada de decisão do candidato e estilo de tomada de decisão do candidato ajudará a organização a contratar bons tomadores de decisão, e nossa pesquisa pesquisa mostra que bons tomadores de decisão minimizam o desperdício de tempo e melhoram a tomada de decisão na empresa em geral.
O empoderamento e a autonomia incentivam o progresso
mas pode causar fricção
Secção Empowerment Imagem Secção Empowerment Imagem responsiva

Dois terços dos inquiridos da LATAM estão satisfeitos com a sua capacidade de tomar decisões na sua função. Isto compara-se com apenas 58% dos inquiridos noutros mercados internacionais.

O empowerment é claramente importante para os executivos seniores da LATAM: 79% afirmam que se demitiram ou consideram demitir-se por não se sentirem capacitados para tomar boas decisões. Noutros mercados internacionais, são apenas 63%.

A maioria dos executivos seniores da LATAM demitiu-se ou considerou demitir-se de um emprego devido à insatisfação com a forma como as decisões foram tomadas
Gráfico de artigos Latam3
Em comparação com 63% que se demitiram ou consideraram demitir-se na amostra original e 54% em Espanha

Os executivos seniores da LATAM poderão sentir-se mais capacitados por terem mais autonomia. Mais de metade (58%) afirma ter autoridade para tomar decisões e ser responsável pelos resultados resultados dentro de sua própria área de responsabilidade, em comparação com apenas 39% de executivos seniores noutros mercados internacionais.

De acordo com a investigação da McKinsey, o empoderamento resulta do facto de se dar às pessoas um forte sentido de propriedade e de responsabilidade pelas decisões, dando-lhes simultaneamente espaço para falharem em segurança.1 Isto sugere que a capacitação e a autonomia estão intrinsecamente ligadas.

Os executivos de topo da América Latina são mais propensos do que os outros a sentirem-se capacitados, terem autonomia e autoridade, e discutiram a tomada de decisões na fase da entrevista. Tal como noutras regiões, apenas uma proporção relativamente pequena se sente alinhada com a sua organização na tomada de decisões:

Apenas pouco mais de um terço dos executivos seniores afirma estar de acordo com o estilo de tomada de decisões da sua organização estilo de tomada de decisões
Gráfico de artigos Latam4

Os C-Suite são o nível de antiguidade com maior probabilidade de pensar que o estilo da sua empresa está alinhado com o seu - embora menos de metade (43%) Os C-2 são os menos susceptíveis de de o afirmar - apenas 32% afirmam que o seu estilo se alinha

O empoderamento, a autonomia e a autoridade que os executivos seniores da LATAM possuem podem indicar que eles estão autorizados a tomar decisões à sua maneira, separadamente do estilo de tomada de decisões da empresa em geral. Da mesma forma, essa falta de alinhamento poderia sugerir que as conversas sobre tomada de decisões nas entrevistas são muito superficiais; os executivos executivos não estão cientes do estilo da organização; e os executivos foram contratados para introduzir uma abordagem diferente.

É interessante notar que os executivos seniores da LATAM que têm mais autoridade para tomar decisões em de decisão dentro de sua área de responsabilidade - em nível departamental e organizacional - são mais são mais propensos a dizer que seu estilo de tomada de decisão entra em conflito com o da organização. Os executivos executivos com mais autoridade podem ser solicitados a desafiar o status quo com uma abordagem diferente de tomada de decisão. Mais uma vez, isto pode simplesmente indicar que lhes é dada a autoridade e autonomia para tomar decisões à sua maneira, independentemente do estilo de tomada de decisão dos outros.

Discutir a tomada de decisões durante o processo de contratação permitirá às empresas avaliar se um executivo sénior pode trazer uma abordagem diferente de uma forma respeitosa respeitosa e que não provoque atritos. Também ajudará o candidato a compreender se precisa de desafiar o status quo - e como o fazer.
1 Aminov, I., De Smet, A., e Jost, G. (2019). Tomada de decisão na era da urgência. McKinsey & Company. https://www.mckinsey.com/capabilities/people-and-organizational-performance/our-insights/decision-making-in-the-age-of-urgency
A cultura influencia o estilo de decisão

A autonomia dos executivos seniores da LATAM pode ser atribuída a um estilo democrático de tomada de democrático nas organizações. Nossa pesquisa mostra que as organizações da LATAM são mais propensas de ter um estilo de tomada de decisões democrático e não de cima para baixo, enquanto outros mercados internacionais, incluindo Espanha, são mais propensos a afirmar que têm um estilo top-down.

As organizações espanholas são também mais propensas a adotar uma abordagem racional e conservadora na tomada de decisões:

Gráfico de artigos Latam5

Estas conclusões são coerentes com a ferramenta de comparação de países da Hofstede Insights,2 que mostra que a evitação da incerteza é predominante em Espanha - mais do que em países latino do que em países latino-americanos como o Brasil e o México.

Cultura Influência Secção Imagem

Apesar de a Espanha ter uma abordagem mais conservadora, racional e de cima para baixo do que a LATAM, ambas as regiões estão unidas na adoção de um processo de tomada de decisão com poderes. Mais de metade dos executivos seniores em ambas as regiões afirmam que se inclinam para uma abordagem com poderes, enquanto apenas cerca de um quarto dizem que são autoritários.

Este facto sugere que a tomada de decisões capacitadas pode ser conseguida em conjunto com estilos conservadores, racionais e descendentes, bem como com abordagens democráticas e de assunção de riscos, conservador, racional e de cima para baixo, bem como com abordagens democráticas e de assunção de riscos.

Além disso, mais de dois terços (69%) dos executivos seniores da LATAM dizem confiar na intuição ou instinto para tomar decisões, em comparação com 60% de outros mercados internacionais mercados internacionais. Isso pode ser devido à falta de dados. Quando lhes foi pedido que indicassem o principal fator de Quando lhes foi pedido que indicassem o principal fator de perda de tempo na tomada de decisões na sua organização, a "falta de dados" foi uma resposta predominante, seguida da falta de experiência. resposta, seguida de decisores inexperientes ou de uma liderança deficiente.

A variação nos estilos de tomada de decisão organizacional entre regiões reforça a a ideia de que as organizações e os candidatos precisam de discutir a tomada de decisões antes de de decisão antes de ser feita uma oferta de emprego. Isto é especialmente verdade quando se entrevistam candidatos que podem ter trabalhado noutros países ou que podem ter de colaborar com intervenientes internacionais, uma vez que noutros países ou que possam ter de colaborar com partes interessadas internacionais, uma vez que internacionais, uma vez que, de outra forma, poderia haver implicações imprevistas.
2 Ferramenta de comparação de países. Percepções de Hofstede. https://www.hofstede-insights.com/country-comparison-tool?countries=spain
As empresas latino-americanas mostram-nos porque é que as competências e os estilos de tomada de decisão devem fazer parte da contratação de executivos
Secção América Latina Imagem.png Imagem responsiva da América Latina

Os executivos seniores da LATAM são mais propensos do que os de outros mercados internacionais a:

Os quadros superiores da LATAM são mais susceptíveis de terem sido questionados sobre as suas capacidades de tomada de decisão antes de iniciarem as suas funções
Gráfico de artigos Latam6 Gráfico de artigos Latam6

A investigação sugere que a satisfação com a eficácia da tomada de decisões é alcançada se for discutida na fase da entrevista, bem como através de um maior empowerment e autonomia. Isto conduz a uma maior felicidade no local de trabalho: os nossos resultados mostram que as pessoas que estão satisfeitas com a eficácia da tomada de decisões na sua organização são mais mais satisfeitas com o seu papel em geral.

Mas apenas cerca de um terço dos executivos seniores da LATAM afirma estar alinhado com o estilo de tomada de decisão da sua organização. estilo de tomada de decisão de sua organização. Isso pode sugerir que as empresas estão à procura de candidatos cuja abordagem difere da da organização, ou que as perguntas sobre tomada de decisão na na fase de entrevista apenas tocam a superfície.

Seja qual for o caso, a tomada de decisões deve desempenhar um papel mais importante quando as organizações contratam executivos seniores. O estabelecimento do estilo de tomada de decisão dos candidatos dos candidatos ajuda-os a prosperar quando entram na empresa - também pode ser fundamental para ajudar toda a organização a tomar melhores decisões.

DESCARREGAR RELATÓRIO
pt_PT_ao90PT